Com vista para a parede



Em Singapura, o primeiro destino da nossa volta ao mundo de 2013, decidimos ficar em Little India. Na prática, Singapura encontra-se organizada por 3 grandes bairros: Chinês, Árabe e Indiano. Escolhemos ficar no Indiano. Não existiu nenhum motivo em particular. Tínhamos que escolher um sítio e Little Índia ganhou. Ficámos num hotel muito giro, minúsculo, mas muito giro. Acima de tudo, tinha o que era preciso, exceto luz natural... sim, ficámos num quarto sem janela. Nem sabia que tal exista num hotel, pelo que não era algo que me preocupasse salvaguardar durante a reserva. Mas o facto é que ficámos num quarto sem janela. Teve a sua graça, confesso. Serviu para a experiência.

Quando chegamos ao hotel e entrámos no quarto, como qualquer pessoa normal, a primeira coisa que fizemos foi "visitar" o quarto. Foi uma visita super-rápida, de segundos, porque o quarto era literalmente minúsculo. Mas, apesar de mínimo, todo o milímetro estava bem aproveitado. Era muito moderno e todo equipado com o que era efetivamente preciso. Era mesmo giro. Apenas não tinha janela. Quando entrei no quarto, reparei nas gigantes cortinas que estavam a seguir à cama. Dirigi-me para janela (passando por cima da cama) e, com os dois braços, fiz aquele típico movimento de abertura teatral de cortina e ... parede branca. O pior foi de manhã, pois nunca sabíamos se estava chuva ou sol. De resto, era ótimo.





9 visualizações0 comentário